Motivação, objetivos, organização

A celebração da Conferência no Rio de Janeiro nos permite abordar a realidade social de um país, o Brasil, onde 80% da população vive em grandes cidades. Neste país, como em outros na América do Sul e no mundo, as grandes cidades crescem em número e tamanho, e os problemas de água, ar e resíduos são intensamente vividos.

O caráter internacional da Conferência se reflete no esboço da discussão das questões levantadas e na origem dos palestrantes, que vêm de diferentes continentes e se destacam pela sua competência técnica, científica e social.

Cada manhã será organizado em torno de uma das três questões-chave: água, ar e resíduos. Eles vão realizar conferências dedicadas aos aspectos técnicos, administrativos e éticos de cada tópico. Após cada conferência haverá debates entre os oradores e os participantes da conferência sobre os aspectos mais relevantes levantados.

Cada tarde será dedicado a um painel de discussão que irá combinar as intervenções de personalidades convidadas e conferencistas.

Painel de gerenciamento. Constituído por prefeitos de quatro grandes cidades com a participação de muitos outros de diferentes países.
Contribuir e discutir a experiência dos problemas de gestão, organização e planejamento das Grandes Cidades para atender às necessidades sociais e ambientais e aos recursos econômicos disponíveis.

Painel de reflexão ética e social. Constituído por líderes religiosos: católicos, judeus, muçulmanos, ortodoxos e protestantes.
Descrever as principais contribuições das várias religiões às exigências da natureza e à humanização das grandes cidades

Painel científico-técnico. Constituído por Reitores de Universidades de diferentes países.
Descrever as estratégias de estudo desenvolvidas no mundo científico e acadêmico para avançar no conhecimento dos processos que afetam os ecossistemas e o meio ambiente, particularmente aqueles que têm maior impacto sobre os seres humanos.